Apps pro ciclo menstrual: o problema e a solução

Apps pro ciclo menstrual: o problema e a solução

Apps pro ciclo menstrual: nem todos são bons, mas também nem todos são ruins. Imagem: aplicativo Kindara, um dos poucos apps que funcionam para usar o método sintotermal de percepção da fertilidade.

Apps pro ciclo menstrual

Ah, essa tecnologia! Hoje em dia temos diversos apps (aplicativos) pro ciclo menstrual. No smartphone, no tablet, no computador, em qualquer navegador com acesso à internet, mulheres podem registrar e analisar dados sobre seu ciclo menstrual de forma rápida, prática e simples. Isso não é ótimo?

Depende do caso.

Caso 1 – Com hormônios e sem confiança

  • Você usa algum tipo de contraceptivo hormonal (como pílula, adesivo, injeção, anel, DIU — dispositivo intrauterino — hormonal).
  • Você usa um app pra anotar seus sintomas e seus dias de menstruação (que, na verdade, não é bem uma menstruação!).
  • Você usa um app como um lembrete pra avisar que está na hora de tomar a pílula ou trocar o anel/adesivo ou tomar sua injeção.
  • Você não confia nos avisos de “dias férteis” e “dias inférteis” indicados pelo app.

Se esse é o seu caso, tá tudo bem! Você pode escolher qualquer app da multidão e a grande maioria deles vai atender suas necessidades.

Caso 2 – Sem hormônios e sem confiança

  • Você não usa nenhum tipo de contraceptivo hormonal.
  • Você usa um app pra anotar seus sintomas e seus dias de menstruação (que, na verdade, nem sempre é bem uma menstruação!).
  • Se você quer engravidar, você não confia nos avisos de “dias férteis” e “dias inférteis” indicados pelo app, e continua tendo relações quando quiser e bem entender.
  • Se você não quer engravidar, você usa algum tipo de contraceptivo sem hormônios. Você também não confia nos avisos de “dias férteis” e “dias inférteis” indicados pelo app, e continua usando normalmente o seu contraceptivo sem hormônios em todas as relações.
  • De qualquer forma, você também não confia na “previsão da próxima menstruação” feita pelo app.

Se esse é o seu caso, tá tudo bem também! Você também pode escolher qualquer app da multidão e a grande maioria deles vai atender suas necessidades.

Caso 3 – Sem hormônios e com confiança

  • Você não usa nenhum tipo de contraceptivo hormonal.
  • Você usa um app pra anotar seus sintomas e seus dias de menstruação (que, de novo, na verdade, nem sempre é bem uma menstruação!).
  • Se você quer engravidar, você confia nos avisos de “dias férteis” e “dias inférteis” indicados pelo app: você tem relações durante os “dias férteis” e nem faz questão de ter nos “dias inférteis”.
  • Se você não quer engravidar, você usa algum tipo de contraceptivo sem hormônios. Mas você confia nos avisos de “dias férteis” e “dias inférteis” indicados pelo app: você só usa seu contraceptivo sem hormônios nos “dias férteis”, e nos “dias inférteis” você tem relações desprotegidas (sem nenhum contraceptivo).
  • De qualquer forma, você confia na “previsão da próxima menstruação” feita pelo app. E quando a sua menstruação não vem na data prevista, você já acha que está grávida.

Se esse é o seu caso, por favor…

 

PÁRA TUDO!

 

Sinto informar, mas NÃO TÁ TUDO BEM!

 

O problema

O problema é que a grande maioria dos apps pro ciclo menstrual nada mais é do que uma versão digital da famosa tabelinha.

A tabelinha se baseia na observação e no registro da duração do ciclo menstrual (contando o primeiro dia de menstruação como o primeiro dia do ciclo) e no fato de que a menstruação sempre vem aproximadamente 14 dias depois da ovulação. Com isso, teoricamente, é possível calcular aproximadamente quando foi a ovulação. Basicamente, ela usa os dados de ciclos menstruais do passado pra tentar predizer os ciclos menstruais do futuro.

 


Mas, por mais que o ciclo menstrual de uma certa mulher seja perfeitamente “regular”, a ovulação não tem data marcada! Ela pode acontecer antes ou depois da data calculada pela tabelinha!


 

Isso faz com que a tabelinha tenha uma chance considerável de falhar. Portanto, os “dias férteis” e os “dias inférteis”, assim como a “previsão da próxima menstruação”, podem muito bem estar totalmente errados.

Se você quer engravidar, isso é péssimo. Ao confiar na tabelinha e na maioria dos apps pro ciclo menstrual, você pode muito bem não estar acertando seus dias férteis de verdade. E quando o app diz que “sua menstruação está atrasada”, isso pode muito bem não ser verdade e você fica animada e depois frustrada (quando o teste de gravidez dá negativo) à toa.

Se você não quer engravidar, isso também é péssimo! Ao confiar na tabelinha e na maioria dos apps pro ciclo menstrual, você pode muito bem estar tendo relações desprotegidas nos seus dias férteis de verdade, mas achando que está nos dias inférteis, e isso pode levar a uma gravidez indesejada! Mesmo que você não engravide, quando o app diz que “sua menstruação está atrasada”, isso pode muito bem não ser verdade e você fica desesperada à toa.

Tá, então o que a gente faz? Queima o calendário? Taca o celular no chão? Não anota mais nada já que pelo visto a ovulação e a menstruação são misteriosas e imprevisíveis e ningúem sabe quando elas acontecem?

Nada disso.

 

A solução

A solução é realmente aprender, de uma vez por todas, como funciona o sistema sexual e reprodutor feminino, e como funciona o ciclo menstrual!

Afinal de contas…

 

A ovulação e a menstruação não são misteriosas e imprevíseis coisa nenhuma. Com o conhecimento adequado, é possível saber quando elas acontecem, sim! E uma peça-chave pra esse conhecimento é o método sintotermal.

 


O método sintotermal é uma forma de observar, registrar e interpretar os sinais de fertilidade do corpo. Os sinais de fertilidade são sintomas que refletem do lado de fora as mudanças que acontecem dentro do corpo durante o ciclo menstrual, e entre eles, os principais são o fluido cervical, a temperatura basal, e o colo do útero.


 

O fluido cervical é um fluido natural e saudável produzido pelo colo do útero (ao contrário do corrimento não-saudável que pode indicar irritação e doenças), que permite a passagem dos espermatozoides e aumenta a sobrevivência deles (de horas pra DIAS!) dentro do sistema sexual e reprodutor feminino. O fluido cervical muda em quantidade, cor e textura ao longo do ciclo menstrual, indicando se a ovulação está próxima, prestes a acontecer, ou já aconteceu naquele ciclo.

A temperatura basal é a temperatura do corpo em estado de repouso, medida com um termômetro adequado logo após acordar e antes de se levantar. A temperatura basal reflete o metabolismo do corpo, que é afetado pela ovulação. Então, a mudança no padrão da temperatura basal indica que a ovulação já aconteceu naquele ciclo.

O colo do útero é a parte inferior e menor do útero, que produz o fluido cervical. A posição, a textura e a abertura do colo do útero mudam ao longo do ciclo menstrual, indicando se a ovulação está próxima, prestes a acontecer, ou já aconteceu naquele ciclo. Este é um sinal de fertilidade opcional, que serve pra ajudar a confirmar os outros dois.

Observar, registrar e interpretar os sinais de fertilidade todos os dias é muito diferente de uma simples conta baseada na duração dos ciclos menstruais anteriores.

É por isso que o método sintotermal, quando usado corretamente, tem uma taxa de falha MUITO melhor que a da tabelinha. E é por isso que o método sintotermal é muito mais confiável para determinar os dias férteis e inférteis de verdade. E também é por isso que o método sintotermal permite prever — e acertar! — a data da próxima menstruação.

Afinal de contas…

A menstruação chega exatamente quando pretende chegar!

😉 Parece brincadeira mas é verdade!

 

Alguns apps podem ajudar

 


Pra usar o método sintotermal, o app tem que ter a opção de registrar pelo menos os sinais primários de fertilidade: o fluido cervical, a temperatura basal, e (opcionalmente) o colo do útero.


 

O app pode der um milhão de opções, mas se não tiver como registrar os sinais de fertilidade, não adianta!

A ideia aqui é que a mulher use o app apenas como ferramenta pra registrar os sinais de fertilidade de forma simples, fácil e rápida; e não pra obter interpretações e previsões. Quem vai interpretar os sinais de fertilidade é a própria mulher, depois de ter estudado e entendido o funcionamento do ciclo menstrual e do método sintotermal!

Alguns apps que permitem fazer isso são:

  • Kindara, pra Android e iOS (uso e recomendo! A mesma empresa vai lançar este ano um termômetro basal que sincroniza automaticamente com o app. Estou curiosa pra testar, e se você estiver também, este link dá um desconto!)
  • OvuView, pra Android (já usei e este recomendo!);
  • Fertility Friend, pra Android e iOS (não usei, mas sei que funciona com o método sintotermal);
  • Groove, pra iOS (não usei, mas sei que funciona com o método sintotermal);
  • Glow, pra Android e iOS (não usei, mas sei que funciona com o método sintotermal);
  • Clue, apenas pra iOS, já que a versão pra Android infelizmente não tem a opção de registrar a temperatura basal (não usei, mas sei que funciona com o método sintotermal);
  • Fertility Diary pra Windows Phone (não usei, mas sei que funciona com o método sintotermal).

Entre outros! O importante, como dito acima, é o app ter a opção de registrar os sinais de fertilidade!

Ainda vai ter um post aqui no blog com mais detalhes sobre apps que funcionam pro método sintotermal. Aguarde! =)

 

Imagens:
Aplicativo Kindara
Pare por Keenan Pepper via Wikimedia Commons (CC-BY-SA)