Percepção da fertilidade: Parte 2 – Métodos baseados na percepção da fertilidade (Não é tudo farinha do mesmo saco!)

Métodos baseados na percepção da fertilidade: formas de determinar quais são os dias férteis e inférteis do ciclo menstrual

Métodos baseados na percepção da fertilidade (do inglês, fertility awareness-based methods) são mecanismos pra determinar quais são os dias férteis e inférteis do ciclo menstrual.

Sabendo isso, uma mulher pode usar esses métodos de diferentes formas: pra engravidar, pra evitar engravidar, ou simplesmente pra monitorar sua saúde.

Mas apesar de fazerem parte do mesmo grupo, esses métodos são muito diferentes entre si: não é tudo farinha do mesmo saco!

Percepção da fertilidade: Parte 1 – Conhecimento é poder

"Conhecimento é poder"

Imagine que você sabe dizer quando está fértil e quando não está fértil. E mais ainda, você sabe dizer quão perto está da ovulação, ou se já ovulou. Você consegue prever a data da próxima menstruação com cerca de duas semanas de antecedência, e sua previsão está correta.

Talvez agora você esteja pensando: tá, isso é tudo muito lindo, mas eu não curto esse negócio de imaginar. Prefiro ficar com os dois pés no chão, bem fincados na realidade. Ao que eu respondo: tudo bem, você não precisa imaginar.

A realidade é que tudo isso já é possível. E tem um nome: percepção da fertilidade.

“Lá embaixo” – Parte 1: Você conhece seu corpo?

"Lá embaixo": você conhece seu corpo?

Você sabe os nomes das partes do corpo que podem ser vistas por fora, como braços e pernas e tornozelos e umbigo e várias outras, e também de várias partes internas, como pulmão e coração e fígado e estômago e cérebro e várias outras.

Mas falta algo… Ah, sim, claro!

“Lá embaixo”. “Partes íntimas”.

Hã? Lá embaixo onde? Quais são as tais das partes íntimas?

Nesta série de posts, vamos dar nomes aos bois e ver exatamente o que tem“lá embaixo”, especialmente no corpo da mulher (cis).

Aprender

Eu continuo aprendendo

“Eu nunca deixei a minha escolarização interferir em meu aprendizado. ” — Mark Twain

Não importa se você fez medicina ou direito ou engenharia ou qualquer curso de nível superior, ou nenhum.

Não importa se você tem especialização, mestrado, doutorado, pós-doutorado, título de professor universitário, prêmio Nobel, ou nada disso.

Não importa se você já tem 10, 20, 30, 40, 50, 60, 70 anos ou mais de idade ou de experiência profissional, ou se “mal começou”.

Aprender não tem rótulos!

Um novo ciclo

Lado oculto da lua

Fui devorando o que me aparecia pela frente, e ao invés de saciar minha curiosidade, tudo o que ia aprendendo foi me deixando cada vez mais faminta. E quanto mais eu me embebia nesse mundo que eu nem sabia que existia, mais eu pensava, inconformadamente…

“Como é que eu nunca ouvi falar disso antes?”